Crônicas, divagações e contestações sobre injustiças sociais, cultura pop, atualidades e eventuais velharias cult, enfim, tudo sobre a problemática contemporânea.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Porque Frente-Única?!


Sabe aquela sensação – muitas vezes acontece durante ou logo após um ato falho – de “Ei, eu sempre faço isso, mas dessa vez não foi no automático”? Pois bem, seja apresentado à epifania (pelo menos, um jeito de aplicá-la). E não digo EpifÂnia, aquela sua tia rechonchuda que te beliscava as bochechas (UIA!) quando você era criança. Falo das situações em que você está tão acostumado a fazer algo que não se liga mais nos mecanismos para fazer. Simplesmente faz. Automático.

Faço essa introdução (UIA!²) pra falar de um dos assuntos que me incentivaram a arrumar um espaço na net pra expressar meus anseios e angústias (Ai, que emo, dá zero pra ele!), ou seja este blog – que foi o ponto de partida para meus escritos internéticos. Chega de enrolação, vou falar (digitar!) só uma vez: Porque, raios, chamamos aquelas blusas femininas que só têm a parte da frente de “frente-única”?

Não sacou?! Titio Garcia expRica (Sagatiba!) pra você. TODA, eu falei TODA blusa – feminina ou masculina – só tem UMA frente. A diferença é que as outras tem uma frente e uma retaguarda. Esse meu questionamento data de uns anos pra cá e ninguém conseguiu responder satisfatoriamente (no máximo sugeriram que se chamasse “frente solitária”).

Eu entendo uma “tomara-que-caia”, pois – dependendo de quem usa – queremos mesmo que caia. Entendo as blusas bufantes (por mais ridículo que seja o termo para peças de vestuário) e entendo as “mamãe-tô-forte”, pois parece mesmo que quem usa uma dessas busca aprovação materna – ou sei lá mais de quem. Agora, “frente-única”... alguém aí já viu uma blusa com DUAS frentes?

Ainda mais que esse povo se distrai muito fácil. Logo que me surgiu esse dilema, fiquei falando com as paredes porque todos estavam empolgados com a escolha do Rio de Janeiro para sediar o Pan-Americano (não, não o banco de empréstimos do Silvio Santos). Agora, temo que aconteça o mesmo já que o ufanismo incitado pela mídia faz parecer que sediar os jogos olímpicos de 2016 vai elevar o país à categoria de primeiro mundo.

Pan, copa e olimpíada... esse povo fica impressionado muito fácil. Nessa hora, aquele teletubie que me sopra os grandes segredos da vida no ouvido quando estou bêbado de conhaque barato me diz assim:


Enquanto isso, no congresso...