Crônicas, divagações e contestações sobre injustiças sociais, cultura pop, atualidades e eventuais velharias cult, enfim, tudo sobre a problemática contemporânea.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Existe sim, eu te disse!

Ditados populares não são só lendas ou figuras de linguagem. Como eu sei?

A editora da Vogue Japão, Anna Dello Russo, realizou, na última segunda-feira (13.09), em Nova York, a personificação de um clássico dos ditos populares.



Quis chamar muita atenção, pendurou uma melancia... er... não?

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Stallone e o maldito politicamente correto


Viu a repercussão do que Silvester Stallone falou sobre o Brasil? Ele disse que a gente aqui agradece por tudo com ‘obrigado, tome aqui um macaco’ e ainda ressaltou que, devido à violência precisou de trocentos seguranças. Além de poder explodir tudo à vontade, pois somos muito felizes e agradecidos com tudo e acostumados com a violência.

Teve um monte de gente falando que foi de mau gosto. Só digo isso: PARABÉNS, CAMPEÕES!!! Quando fazem piadas sobre argentinos, japoneses ou árabes vocês se acham muito puritanos, né? Nem vou tão longe, quando pessoas fazem piadas sobre estados ou cidades diferentes, também acham que são muito legais, né? Piada, gente, PIADA!!! Como podem fazer tanta piada sobre os outros e não aceitarem piadas sobre você?

É um absurdo. O brasileiro médio moralista não aceitou uma piada de humor negro quando viu que foi em sua direção. É aquele clássico - e patético - caso de “complexo de superioridade infantil”, onde o valentão perturba todo mundo, até ser desafiado por um dos alvos das piadas. Aí começam as reações no melhor estilo “Também não brinco mais!”. Consciência e maturidade, por favor! Cultura emo modo ON não dá!!!! O cara teve que pedir desculpas e explicar a piada..

O povo faz piadas sobre a própria desgraça, faz piada com as desgraças dos outros (exatamente TODOS os outros: EUAses, China, Japão, árabes, judeus, padres católicos, loiras...) e ninguém pode mexer com ele. Ego sensível demais pra um povo que ironiza tudo. Essa onda do politicamente correto é uma m*rda fumegante. Se atirarem bombas anti-recalcados esses politicamente corretos dos infernos serão nossa primeira linha de defesa.

Tenso, hein!

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Novo golpe (a longo prazo)



Escrevi no saogoncaloemfoco que acho segunda maior estupidez do mundo você pensar que ganhou prêmios porque te disseram, sendo que você não entrou em promoção alguma (a primeira coisa mais estúpida é chamar de rock, bandinhas coloridas e água-com-açúcar só porque seguram guitarras enquanto choramingam estridentes no seu ouvido).

Enfim, por e-mail também acontecem tentativas de golpes, e por e-mail também acontece gente burra que quer acreditar em qualquer mentira a seu favor.

Receba a mensagem acima, acredite e esteja pronto pra receber um e-mail meu dizendo "Parabéns, agora você figura na minha lista dos mais panacas de 2010 a 2014!".

Fala sério, olha o 'acontecerá' com Ç... carai!!!

domingo, 18 de julho de 2010

Existe fumante passivo?


O fumante tradicional é aquele que, estando com seu cigarrinho em mãos (ou em dedos, como preferir), puxa a fumaça e, numa seqüência de movimentos específicos com seu aparelho respiratório, “traga” a mesma e a devolve à atmosfera numa tentativa de sei lá o quê (relaxar, acordar ou passar o tempo... cada um tem sua desculpa).

Sendo assim, o que configura uma pessoa como fumante “passivo”?

Quem está perto do fumante em pleno exercício da função, não está executando (Rá! Que escolha de palavras) os tais movimentos específicos com seu aparelho respiratório. Logo, não está fumando. No máximo, está respirando as substâncias, mas de um jeito não específico (vale pra fumaça de incensos, escapamentos de automóveis, peidos, etc). Donde se conclui que NÃO EXISTE FUMANTE PASSIVO!!!

Ah, você discorda porque gosta do senso comum que se utiliza de termos pré-determinados pra fazer fumantes se sentirem culpados? Tudo bem. Não tenho mesmo a intenção de mudar o mundo (talvez dominá-lo, mas não agora).

Pensa bem:
Fumante ativo – Aquele que fuma o cigarro.
Fumante passivo – Aquele que é fumado pelo cigarro(?!)

Na boa, pra mim, usar o termo fumante passivo, só se for na reversal russa.

Aqui, você fuma o cigarro. Na União Soviética, o cigarro fuma VOCÊ!!

O.o

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Pé-frio como uma pedra rolante


Escrevi no "saogoncaloemfoco" que superstição é só um mecanismo de defesa da mente humana para se sentir segura diante da propriedade imprevisível de cada partida de futebol.

Não é de se admirar que as pessoas se apeguem ao mesmo vestuário, gestual e sei lá mais o quê para "garantirem" que tudo dará certo. É meio estúpido, se sentir culpado ou responsável pelo resultado de um jogo praticado a quilômetros de distância por pessoas que não dependem de você pra nada, mas tem lá seu sentido, pois se o povo acredita em políticos do tempo do ronca...

Agora, que superstição poderia nos livrar dele... "dele quem?" você pode perguntar, pequeno gafanhoto. Do senhor Jagger, eu digo, singelo garcianauta (!). Uma das lendas vivas da cultura pop (do período jurássico pra cá) derrubou cada seleção a que se atreveu torcer. Foi-se os EUAses, Inglaterra (peso dobrado, por ser sua seleção pátria) e Brasil. Pô, o cara tinha que torcer junto com seu filho brasileiro? Saco!

Mais uma vez, a Europa se curva SOBRE o Brasil. E... entre nós: Aposto que Mick Jagger soube da turnê This is it, de Michael Jackson, e disse "Vou estar no camarote na estreia!". Tenso, hein!

Sai pra lá, tomara que eu não tope com ele. Eta, Urubulino danado! Medo!

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Copa: Decepção ou superestima?


Sabe como é esquisito acompanhar copa do mundo, né? Não? Titio Garcia, exprica:

Primeiro de tudo: A seleção brasileira estava mais empolgante que deitar no chão e esperar a morte chegar. O problema é que a imprensa (sem #dungarecalcadofeelings) criou uma aura de "já que é copa, vamos enaltecer os nomes famosos e ganhar o público". Tanto carnaval em cima de nomes famosos que - em sua maioria - chegaram à copa contundidos - rendendo pouco mesmo - só serviu pra uma coisa: Começar a fazer festa em cima de nomes pouco conhecidos e times sem tradição ns copas. É o famoso caso de criar expectativas e passar a ideia de que houve decepção. Ao passo que, inversamente proporcional, valeu a surpresa com seleções "pequenas" fazendo bonito.

A partir daí, tenho duas considerações:

1 - Não adianta tentar dizer que o futebol mudou, que não há mais espaço para espetáculo ou que resultado é mais importante. Até concordo, mas time de futebol que joga de lado e não sabe reverter placar (aliás, desvantagem originada pelo próprio futebol pequeno da seleção) é coisa de time bobo. Dunga, algum problema?

2 - A segunda é que todo mundo (disse: TODO MUNDO)joga no mesmo nível. Um ou outro tem talento individual, mas não se pode também achar que os talentos estrangeiros são maravilhosos e os nacionais é que deixam a desejar. Por exemplo, babou-se tanto os bagos do Maradona e seu pimpolho-maravilha, e o que ele fez? Até o Shahalalalalalala, da África do Sul, fez gol e o "melhor do mundo" ficou no "ora, veja". Messi, o garoto-prodígio (Santo chucrute, BÁTIMA!).

O que me faz pensar...

terça-feira, 22 de junho de 2010

O elemento coração


Recentemente, descobri (sem relevância alguma para a sociedade) que o desenho eco-tchubiruba Capitão Planeta é reprisado no Canal Futura (não lembro os horários, vá procurar!). Se você é noob a ponto de nunca ter ouvido falar no desenho, eu resumo a história da coisa: Gaia, o espírito da Mãe Terra, reuniu cinco jovens de bom coração para representar os elementos da natureza e defender a Terra dos que tentam (ou não se importam com) sua destruição. Os anéis usados por eles lhes conferem poderes de controle sobre os elementos e, quando reunidos, trazem o famoso Capitão Planeta, que é uma representação da Terra combatendo seus algozes (poluidores, desmatadores, corruptos, etc).

Desde 1993 – quando o desenho estreou no Brasil pela vermifugada TV Colosso – eu tenho um certo “recalque”. Na verdade, minha cisma é com o tratamento com o Sul-Americano (mais especificamente, brasileiro). Pensa bem, o africano Kwame usa o elemento terra, a “soviética” (vamos chutar que ela fosse russa) Linka tem o poder dos ventos, o estadunidense Wheeler vem com o poder do fogo e a asiática Gi (ou Gee, sei lá), a água... agora... e o brazuca fica com o quê? Coração. O.o CORAÇÃO!?

Sacanagem. CORAÇÃO NÃO É ELEMENTO! Nem adianta fazer referência a questões transcendentais dizendo que representa de forma resumida a quintessência, espiritualidade ou smurfs... CORAÇÃO NÃO É ELEMENTO! Não acredita que é muito pouco caso? Veja só:

Ma-Ti: o sul-americano do grupo é também o mais jovem. Apesar de não revelado oficialmente durante a série, sua nacionalidade provavelmente seja a brasileira, já que ele faz parte de uma tribo dos índios caiapós. Possui vasto conhecimento no ecossistema de florestas tropicais, principalmente plantas exóticas. É amigo dos animais e possui como mascote um macaco-prego chamado Suchi. É o mais sentimental do grupo e o que recebe maior atenção de Gaia.

Poder: possuindo o poder mais abstrato do grupo, o Coração, Ma-Ti pode se comunicar com animais através de telepatia. Apesar de raramente usar contra humanos, ele também pode fazer uma pessoa ser mais "bondosa" através de seu anel.
Representa: a sabedoria dos povos e culturas humanas.

Fonte: Wikipedia

Agora me explica que lance é esse de fazer alguém bondoso por causa do anel!!! (UIA!)
Me explica também essa questà acerca da sabedoria dos povos e culturas humanas!!! Qual a outra possibilidade? Sabedoria dos povos artrópodes? Gafanhotos que te ensinam o valor de uma amizade? E as culturas? Viúvas negras explicam o porquê de f*derem com seus parceiros não sexualmente falando? (OWNED)

Aff...

terça-feira, 8 de junho de 2010

Menina morta acusada de comer biscoitos envenenados


Ignore qualquer coisa que não esteja destacada na imagem (inclusive a notícia do ator pornô que caiu do penhasco, ou seja, se f*deu e não foi sexualmente!).

Vamos ao foco da notícia. Uma menina de 13 anos foi levada a um hospital em Recife após ingerir 4 biscoitos envenenados. A vítima não resistiu.

Eu não poderia fazer piada com algo tão sério, mas o modo como o G1 (denovo!) inseriu a chamada na página principal da Globo.com foi demais!

“Menina morta teria comido biscoitos envenenados.”

P*RRA, G1! Parece até que ela comeu depois de ter morrido! Maldição zumbi feelings agora?

Que tenso!

(valeu a dica, Matheus)

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Kung Fu Kid


Olha, caro garcianauta (O.o), até iniciar este artigo, eu nem podia imaginar por onde começar a detalhar as bizarrices dessa notícia e os assuntos que a envolvem... Mas tudo precisa começar de alguma maneira. Pois bem, vamos lá:

Começa com essa mania escrota de remakear tudo quanto é filme famoso do passado (muitas vezes, beeem recente). Resolveram fazer uma nova versão de Karate Kid. A primeira bizarrice já vem aí: A história vai se passar na China e o mestre será interpretado por Jackie Chan (e não TCHEN, viu, locutor da Globo???). O estranho nisso tudo? O garoto, interpretado por Jaden Smith (filho do maluco no pedaço) lutará kung fu. Sim, Karate Kid se passará na terra da luta de Bruce Lee... vai entender!

Mas vamos à notícia em si. Aliás, literalmente “notícia em si”, pois o conteúdo é tosco, mas normal dentro do contexto da coisa. Mas a cagalhopança do texto é digno do “Porra G1!”. Vamos lá?

 Notem que o primeiro parágrafo termina com algo do tipo “...agora serpa estrelado por Jaden.”. Não faço ideia do que isso signifique, mas posso ter perdido essa parte da reforma ortográfica que substitui o acento agudo pela letra P precedendo a vogal a ser acentuada (nossa, quase EU levo a sério).

 O segundo parágrafo já vem mais recheado (como todo parágrafo de desenvolvimento de texto). Riquezas mil já vêm num “Na vídeo...” pra nos sentirmos lendo o texto de algum gringo de férias aqui. Agora, se os moleques dizem que Chuck Norris aprovou o clipe e o garoto Bieber chama o novo Daniel Larusso (Dre Parker, na nova versão) de irmãozinho, só posso pensar em fim do mundo... Mas calma que não acabou.

 O detalhe fatal é a legenda da foto. Uma imagem vale mais que mil palavras. E essa imagem não teria nada de mais. Só que algum afobado (só falando assim ;p), além de trocar N por D no final do nome do menino Smith, ainda enfia (UIA!) o mesmo sobrenome para o jovem Bieber... ou seria Smith? (Que tenso, hein!).

P*RRA, G1! A PATA DA MULA QUE DIGITOU NÃO ALCANÇA ALGUNS CARACTERES? REVISÃO DE TEXTO JÁ!P*RRA!

terça-feira, 4 de maio de 2010

A problemática dos cds/dvds “ao vivo”


Tudo bem, admito que essa é uma reclamação particular e não ouvi ninguém falar o mesmo que estou prestes a explicar. Por mais provável que seja existir uma boa quantidade de gente resmungona igual a mim. Mas, já que o espaço está aqui, discorrerei (O.o) a respeito da onda de Cds e Dvds ao vivo.

Não, não sou contra registros musicais ao vivo (alguns ficam até melhores que suas leituras originais) e também não vou entrar na questão dos acústicos (obras desnecessariamente repletas de músicas quase não modificadas só pra se vender uma pseudo-novidade – pronto, falei!).

Minha questão está na importância que se dá ao público nos intervalos das músicas. Há quem sinta falta daqueles uivos, assobios e palmas entre as faixas. Tá, a vibração do público até pode dar uma emoção a mais de você se imaginar – ou lembrar – dos momentos bacanas dos shows. Mas, porque, churrumelas, esses gritos precisam ser mais altos que a própria música?

Sério, eu curto muito um fone de ouvido. Realize: Você ta naquele embalo da canção, tudo corre às mil maravilhas e de repente, não mais que de repente, a música tem seu encerramento triunfal... Hora de pensar “Pô, que legal, gostinho de quero mais”?

NOT.

É hora de pensar: “CARAI! Que gritaria é essa logo depois de uma massagem musical nos meus ouvidos”. Essa berraria virou vírgula nos cds e dvds.

E olha que eu nem cheguei ainda na minha eterna vontade de xingar os cantores com sua mania horrenda de lançar o maldito “Só vocês!”. Só vocês ÉUCA!!! Só porque o dvd tem opção de legenda e o cd pode vir com letras no encarte não quer dizer que eu tenha que ouvir um bando de desconhecidos gritando as músicas sem critério artístico. Eu paguei, canta VOCÊ!! (e nada de picaretar mudando o modo de cantar, não! Eu conheço as músicas. Respeite as melodias e letras). Pronto, falei!²

quarta-feira, 3 de março de 2010

Personagens macabros da cultura pop (parte 1)


Vez por outra, deparo-me com aquela “origem” da Hello Kitty, que se resume assim:

Uma mãe desesperada + Filha com câncer na boca + pacto com o demônio = salvação de sua menina. Em troca, ela criaria um símbolo de alcance mundial em homenagem a ele (o capiroto, oras!). Parece que deu certo. Os sinais disso - que têm a sustentabilidade de um castelo de areia diante de um tsunami - estariam no fato de a gatinha não ter boca ou no nome ser – supostamente traduzido como: Hello -> Oi (em inglês) e Kitty -> Demônio (em chinês).

Antes de mais nada, vamos dizer que também existem versões assim:

1) A desenhista estaria grávida de uma menina perfeita, mas com câncer na boca;
2) O nome dela viria de um dialeto africano (elohit) onde significaria - olha, que surpresa - demônio;
3) Seria o símbolo de uma seita religiosa contra os princípios de Deus (ah, nessa não foi demônio, mas anticristo...);

Na boa, andei pesquisando e vi que a Hello Kitty (em japonês, Harokiti) foi criada originalmente pelo designer Ikuko Shimizu em 1974. E o nome em inglês foi escolhido porque a cultura britânica era popular entre as garotas japonesas na época da sua criação. Já vi a explicação de que a ausência da boca simbolizaria a submissão da mulher japonesa. Mas a Hello Kitty possui boca nos desenhos animados (procura aí na net, pois quero evitar a fadiga).

E outra, 'Hello' é ‘oi’ em inglês, e kitty é ‘gatinha’ (o bicho) em inglês (‘Ma’ que tinhoso poliglota é esse que quer misturar personagem japonês com nome em chinês? Será que ele não sabe que China e Japão não têm muito a ver? Ah, danado!). O Kitty é uma homenagem ao gatinho branco da Alice no livro ‘Through the Looking Glass’ de Lewis Carroll. E o nome “verdadeiro” dela é Kitty White (Gatinha Branca) Dah!.

Ainda vi que a palavra "Demônio" em chinês tem duas representações, cada uma com dois hideogramas: "wu gui" ('mal' + 'diabo') e "wu mo" ( 'mal' + 'magia'). Em Mandarim são 'e-gui' e 'e-mo' (portanto, emo é que é coisa do demo, deixa a gatinha branca em paz!).

No fim das contas, ela não tem boca... Sobrancelhas, dedos, umbigo, abertura nas orelhas, pálpebras... E daí?! Os Simpsons têm 4 dedos nas mãos, desenhos japoneses têm olhos enormes, o Bob Esponja - além do óbvio de ser uma esponja que anda e fala - consegue ir à praia no fundo do mar (O.o) e fritar hambúrgueres (já até causou um incêndio na bolo doido todo que é o desenho!).

Vou parar por aqui antes que digam que Garciarama significa 'parangaricutirimírruaru'!

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Novas modas?


A moda. O que é a moda? Não sei nem pra que serve, já que se vestir deveria ser um necessidade, em primeiro lugar, e, no fim das contas, quem sabe, estar bem vestido (o que deveria ser uma intenção própria e não para os outros). Mas, enfim, o ser humano se preocupa com o que os outros possam falar, mesmo que não seja imoral, ilegal ou engorde.

Pessoas ligadas à moda (e seus adeptos) agem e são vistos como marcianos que se acham à frente do seu tempo. Quem dita moda, dita as regras do vestuário durante todo um período. Fico embasbacado toda vez que vem uma reportagem sobre moda e o estilista/modelo/pretenso interessado diz que a grande tendência para a próxima estação é, por exemplo, a bata hippie... BATA HIPPIE? Isso se a pessoa não completar dizendo que vai combinar com a calça boca-de-sino. Não era a tendência PRA FRENTE, catzo?
Que moda ‘De volta para o futuro’ é essa que diz que novas tendências são o que foi moda há 40 anos?

É engraçado quando dizem que isso ou aquilo voltou à moda... qual é o critério? Ficamos uns 20 anos sem usar, aí a gente usa denovo. Isso é ser sofisticado e antenado... blá, blá, blá... No geral, fico muito feliz em manter meu estilo casual (jeans e camiseta), pois, como se fala “não sai de moda”. O que eu retificaria com “está à parte da moda”, já que nunca se erra ao sair assim. Quando digo “erra” digo “ninguém te enche o saco” (porque me importar mesmo em agradar, não me importo). A roupa é minha, se quiser, uso gravata na testa.

Roupas de ginástica, batas, calças boca-de-sino... pera lá, melhor admitir logo que vocês não têm imaginação pra criar nada e resolveram fazer um apanhadão das décadas passadas pra dizer como se vestir!

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Novidades televisivas '10: X-Men: Evolution?!


E 2010 começou. Como foram suas entradas de anos? (e a plateia gargaaalha)

Tá, a primeira piada infame do ano publicada neste blog. E por falar nisso, vamos ao post de abertura (UIA!).

Ano novo, vida nova... Tá, a expressão é tudo, menos nova. Mas não significa que seu significado não seja pertinente (hein!?).

Estou falando pra celebrar o novo ano, boas novas, novidades e tals. Sendo assim, sugiro que você, caro garcianauta (!), assista à programação do SBT. Não é como a Record que só copia e se espelha no modelo que eles mesmos seguem (talvez para almejar tomar o lugar um dia e, assim, dominar o mundo). Não, a emissora do senhor Abravanel oferece novidades. Grandes novidades como o desenho tchubiruba X-Men: Evolution. Duvida? A birosca do desenho é novidade desde... sei lá... sempre! E, pra quem conseguiu perder isso, a trozoba começou (denovo) no programa matinal Bom Dia & Cia (saca, aquele das ex-crianças/pré-aborrescentes irritadoras de pequenos animais).

Na verdade, isso foi uma desculpa pra questionar certas incongruências que notei em aspectos básicos do desenho (tendo o conhecimento da série original nos quadrinhos ou não).

-> Ciclope: O destemido líder dos adolescentes usa óculos especiais que “seguram” seus raios ópticos (dah!). Raios que desmancham uma montanha, mas não vazam pelas laterais... como? Sei lá.

-> Jean Grey: A ruiva, no desenho, não tem codinome (aparentemente ignoraram sua versão do gibi que usou “Garota Marvel” e “Fênix”). Mas os “XisMéin” não começaram a série agindo em segredo? Como alguém pode não ter uma identidade secreta, nem máscara e agir em segredo? Ora, bolas...

-> Lince Negra: O mesmo do codinome vale para a menina Kitty Pride que não esconde o rosto em público, logo, o codinome é inútil.

-> Vampira: Além de ganhar uma versão beirando o gótico, a menina é o contrário das colegas supracitadas, pois, age em público sem uma máscara, mas não tem um nome de verdade... Como ninguém desconfiou dela antes? Tipo, alunos, essa é sua nova colega: Vampira. Ah, tá, senta ali perto do Lobisomem da Silva e do Natércio. ¬¬

-> Maria Gadú, a cantora: (Mas hein?! Não, ela não é mutante (será?), mas por parecer uma perfeita cruza da Adriana Calcanhoto com o... Pica-Pau, até que se encaixa... no meu histórico de piadas sacanas e já concorro a troféu “ta da tchisss (solinho de bateria para piadas infames) 2010”. RÁ!