Crônicas, divagações e contestações sobre injustiças sociais, cultura pop, atualidades e eventuais velharias cult, enfim, tudo sobre a problemática contemporânea.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Neusa Borges e as dificuldades financeiras do artista negro

Quando vejo um pobre implorando pra eu comprar um doce por um trocado e tem gente que não sabe o mundo em que vive, tenho vontade de internar no Retiro dos Artistas.

A atriz Neusa Borges sempre fica tensa ao final de alguma obra em que trabalha, sobretudo de Glória Perez, que sempre a escala pra algum papel que não fede nem cheira, mas está lá há tempos, coisa que metade do elenco de Salve Jorge não conseguiu (tem gente que não pinta na telinha desde o carnaval), com um recorde de atores sumindo por meses e outros que foram convidados ano passado e ainda nem "esquentaram a cadeira" com suas estreias particulares. “Tenho mais de 40 anos na casa e nunca tive um contrato. Por isso que eu digo: não mamo nas tetas da Globo. Se eu mamasse, pelo menos para ter um plano de saúde, poxa, até agradeceria”, desabafa.

Dos R$ 600 mil que recebeu de indenização da Unidos da Tijuca (após cair de um carro alegórico, em 2003), a veterana se queixa que o dinheiro não é todo seu, pois precisou pagar impostos, advogados e ainda comprou uma casa para as duas filhas. Além disso, ela recebe uma aposentadoria de três salários mínimos por mês, por isso, afirma que não pode “se dar ao luxo” de parar de trabalhar.   Até porque o valor da aposentadoria foi se defasando, antes eram sete salários, e tals... Mal dá pra bancar seu apartamento em Copacabana, um dos mais notórios bairros em questão de custo de vida. Mas Neusa lamenta e se irrita com as pessoas que a criticam por sempre reclamar, como, por exemplo,  o apresentador Gominho, do extinto Muito + (Band), que a "sugeriu" que fosse morar, então, em Bangu.

É aí que dona Neusa desce do salto pra dar piti, pois, como ela não poderia ter o direito de morar em Copacabana?!

Essa, eu respondo, Neusa, você tem todo direito de morar até na torre do Rio Sul, mas TEM QUE BANCAR!, minha filha! Se sua grana não dá, não reclama do trabalho, aprenda a se adaptar a um padrão de vida que lhe caiba no bolso, do contrário, vai ficar apelando a programinhas populistas - daqueles com legendinha explicando o barraco da vez - choramingando que ninguém quer te dar a chance de viver como uma mulher rica, RICAAAA!!!

Mas falando sério, pela pouca experiência que tive com figuração e as conversas que já tive com gente relacionada ao meio (UIA!), Neusa passa por dois problemas com a mesma origem: A chamada fábrica de fantasias - ou sonhos - que a TV gera. Por exemplo, repare que raramente é um adolescente que faz papel da idade que tem, quase sempre temos jovens de 20 anos interpretando 17, e por aí vai. Note que não tem muito artista de meia idade, isso porque a TV vive de aparências e acham melhor que alguém mais jovial faça um papel de adulto experiente e seguro. O mesmo acontece pra cima, pois um ator idoso já cai na categoria de pai, avô ou ancião.

O outro problema que Neusa passa é o fato de ser negra. Sim, repare que em novelas, em média, os elencos têm cerca de 80 atores. Pode ir pesquisar assim que acabar de ler isso aqui, vai no site de uma novela e perceba que nem 10% dos artistas ali são negros. Agora junta a idade e a acessibilidade do negro na mídia... Se não for uma Taís Araújo, Lázaro Ramos ou Camila Pitanga (mais uma meia dúzia que já têm status de estrela), fica muito difícil pra nossa irmã Neusa. Eu até recomendaria que ela mandasse a globo se futricar, mas imagina a Record fazendo novela se passando no Egito (que é um país africano) cheio de branco pintado!!! Certamente a emissora do bispo também não é chegada na cor.

No mais, Neusa tem todo direito de reclamar, se vai mudar o padrão de vida ou vai investir em algum negócio próprio paralelo - como ouvi falar uma vez - aí é com ela, mas estamos aqui pra mostrar que nem tudo são rosas na emissora do golpe. Ah, por falar nisso, Isabel Filardis também não teve contrato renovado. Depois de 20 anos, escalada para poucas produções, a eterna Ritinha de Renascer também saiu com essa mágoa. 

Mas é, gente, tem ator clarinho que é tão avesso à leitura (!?) que não se envergonha de falar isso em entrevista, lança livro de figuras e tem papel certo em pelo menos 2 produções por ano... Neusa e Isabel, atrizes de gabarito, ficam dependendo de (má) vontade de emissora. 


Fonte: O Dia

Howard Wolowitz: Cientista famoso se envolve em novo impasse interplanetário

Mars rover Curiosity: Vítima ou arma do crime?
Howard Wolowitz, engenheiro espacial e astronauta, foi convidado a explicar novo incidente envolvendo seu nome e uma máquina lançada a Marte. Depois de usar o controle remoto para guiar um mars rover (veículo-robô feito para aterrizar em Marte e detectar indícios de vida no planeta vermelho) entre 2008 e 2009, o cientista é acusado de provocar mais um acidente. Dessa vez, o mars rover Curiosity, que pousou no quarto planeta de nosso sistema, foi a "vítima" do Doutor Senhor Wolowitz. Ou teria sido o instrumento de vandalismo? O fato é que o robô não desenharia uma giromba gigante figura de formato fálico em solo marciano por puro desaforo. O que ele vai alegar? Matrix?!

Em todo caso, autoridades já estão em adiantadas investigações e, pelo histórico, tudo aponta para um só responsável pela obscenidade, mas ninguém quer confirmar ainda, já que o caso corre em segredo de justiça.  

Amigos do acusado se pronunciaram, dentro das possibilidades judiciais permitidas.

"Tenho certeza que tudo vai se esclarecer no final, meu Howie é uma ótima pessoa e não faria nada que ofendesse a qualquer um", apela, Bernadette, esposa do suspeito.

""Não me surpreende, ele é um pervertido!", afirma Penny, namorada sem sobrenome de seu amigo Leonard.

"Ele é só um menino, deixem-no em paz, pelo amor de Deus! Nessa idade é normal pensar nisso, não têm o que fazer não?!", esbraveja a mamãe Wolowitz.
O incidente mal aconteceu e já se tornou um viral na internet, principalmente em redes sociais. Acima, está um exemplo.

domingo, 7 de abril de 2013

Levante neo-nazista silencioso vindo por aí?!

Pode ser paranoia da minha parte - e algumas pessoas até concordaram comigo - mas o que tenho notado ultimamente é um apego demasiado a conceitos já ultrapassados há muitas décadas. Fatores religiosos, ideológicos e culturais fazem com que pessoas com todos os interesses do mundo - menos o bem estar geral da nação - se sintam no desejo de ingressar em cargos eletivos públicos para porem em prática interesses do grupo que os apoiou a chegarem lá.

É o caso de militares nos anos de chumbo de nossa pátria ou até essa onda de religiosos no poder. E não falo só dos felicianos ou malafaias da vida, falo de gente como Jair Bolsonaro, franco defensor da ditadura militar tanto quanto inimigo das causas das minorias - sobretudo, dos gays. Isso porque ele falou "por engano", imagina se ele expusesse tudo o que defeca pensa em sua mente. Há décadas esse cara tá lá e é declaradamente um opositor de uma enorme parte da população... Como pode isso? Sinal que tem apoio de uma outra parte que simpatiza com sua filosofia.

E aí, é o que eu penso, nesses manifestos e o número de gente que simples e cegamente defende seu líder religioso preferido - como se o cara não fosse um ser humano normal com o mesmo potencial de ligação com seu deus particular - e acaba defendendo ideias distorcidas de uma lei religiosa que não é a que rege o país, contrariam a Constituição Federal pra defender textos modificados de 2000 anos atrás e, nessa, o mais  grave, na minha opinião: Atacam com seu conservadorismo e ignorância pessoas próximas, pessoas que consideram-se amigas. E isso, amigolhes, pra mim, é o mais triste.

Quando você se depara com alguma declaração preconceituosa feita ou apoiada por algum(a) camarada seu é de lascar, bro. Vem um sentimento de decepção, de traição que magoa por um momento, mas pasa logo depois que eu penso que preciso ser fiel aos meus ideais e racismo nenhum, homofobia nenhuma ou intolerância religiosa nenhuma vai me abalar à depressão. Vai, ao contrário, me impelir a falar ainda mais alto e, se for pra me resignar, que seja de pé e com a cabeça erguida. Como diz Jean Wyllis, quando uma minoria estigmatizada intenciona sair de sua condição socialmente imposta de subalterno pra reivindicar direitos constitucionais, incomoda os acomodados conservadores - de todas as idades.

Assim como um fanático sem cérebro defende seu líder e transfere pra ele sua capacidade de pensar, eu defendo os meus. Recentemente eu dei apoio irrestrito a uma amiga de internet quando ela foi vítima de racismo e cyberbullying e conseguimos alguns resultados positivos contra os racistas em questão. Também sou de defender o feminismo, a naturalidade da homossexualidade, sabe por quê? Porque eu não preciso ser gay ou mulher pra desejar que o respeito se faça presente, até porque sou negro e sinto na pele um ódio latente que só um negro pode saber. Daí, minha teoria de que quem acha que racismo foi só uma ondinha da escravidão e que hoje todos somos iguais no cotidiano, só pode estar de sacanagem ou cinismo.

"Ai, nem posso mais fazer piada de preto que me chamam de racista, mimimi, bobobó...". É isso mesmo, cara, tenha muito receio de fazer uma piada racista, homofóbica ou machista, porque o respeito tem que vir de algum jeito, nada mais de "ah, é assim mesmo"  porque não é. Nunca um caucasiano foi perseguido e agredido por ser caucasiano, nunca um hétero foi espancado por ser hétero ou um homem apanhou de um grupo de mulheres porque foi considerado frágil e inferior. Nosa luta não é por comemoração ou favores, é por respeito igualitário. E nossa educação tem culpa nisso, porque hoje se fala muito que é ineficiente no setor público, mas eu estudei em escola particular e faculdade particular... E não é muito mais bonito.

Sabe porque falo isso? Porque assim como nomes de ruas e demais instituições só o lado do opressor é valorizado, não tem história da cultura negra, indígena ou não-católica. Somos acostumados a achar que o negro só participou ativamente da história como escravo, achamos natural que a tv mostre um Brasil branco, católico, rico e feliz. Por isso quando um negro tenta algo a mais na vida do que se contentar em "ganhar" a liberdade, incomoda. Por isso que o gay é acusado de tentar deturpar os valores da sociedade, sendo que não é o gay qye abandona filhos em lixeiras, mas tentam se unir e garantir direitos a seus companheiros e adotar crianças que foram abandonadas de algum jeito.

Defesa da família? Que guerra um gay causaria casando-se? Se liberarem você acha que isso vai transformar o Brasil numa suruba LGBT? Barra Music é liberado pra quem quiser ir lá, mas só vai quem gosta, não é? Então, a comparação foi tosca, mas o casamento gay é isso aí. Vai casar quem quiser, quem for gay e não vão fazer isso no quintal da sua casa, vai ser onde eles escolherem. Seu Deus disse pra amar o próximo, mas você condena, quem ama não julga. Mas babar ovo do seu líder você baba. E não escrito no mundo que defenda essa postura. Já coloquei medo sem querer em gente próxima por falar dessa minha teoria conspiratória de um silencioso levante neo-nazista, sob o disfarce de religião/ideologia (até porque Hitler se dizia protegido e servo de Deus).

Fiquemos atentos, estão tentando manter o Brasil na retrógrada ideologia medieval. Pegar um Delorian e voltar para aquela época e deixar o mundo evoluir e a sociedade continuar mudando ninguém quer, né? Querem enriquecer enganando otário e excluindo camadas da sociedade para a marginalidade.