Crônicas, divagações e contestações sobre injustiças sociais, cultura pop, atualidades e eventuais velharias cult, enfim, tudo sobre a problemática contemporânea.

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Garoto morre eletrocutado ao usar fones no celular enquanto carregava... BOATO!

Veja bem, a notícia é verdadeira, um garoto, de fato, morreu vítima de uma eletrocução, mas não foi por usar celular ligado à rede elétrica, muito menos no Brasil.

O boato

Um jovem teria morrido por usar o celular ligado ao carregador, alguns dizem que enquanto dormia.



A verdade

O tipo de fone mostrado na foto não parece ser o tipo usado em celulares, mas se restasse ainda essa dúvida, na próxima foto fica nítido que o celular estava ao lado do corpo intacto e desligado, sem fones plugados.


Note também, na próxima foto, que parece que o mouse está danificado com queimaduras (e se você viu a imagem sem tarjas ou distorção, também percebeu que há queimaduras fortes no braço direito do garoto).

Acontece que a descarga elétrica aconteceu por um raio que atingiu a casa onde ele estava, enquanto usava o computador. Daí vem o real motivo da morte, olha o fio do fone pra onde vai ali, ó.



O que se sabe é que um vizinho chamou a polícia, mas não há notícias de como a investigação prosseguiu. Ah, e foi na Tailândia, não em Aracaju, não em São Paulo, nem lugar nenhum que não a Tailândia.

Conclusão

A notícia do motivo da morte é até verdadeiro, o choque fatal, mas o meio por onde aconteceu esse choque fatal foi distorcido, nas minhas hipóteses, por:

a) Algum troll que achou engraçado expor um cadáver pra zoar os amigos de zap;
b) Algum troll desocupado que queria causar choque (perdão pelo trocadilho infame) nuzamigo;
c) As duas opções acima.

O negócio é que tem várias pessoas repassando isso como verdade e, provavelmente, foi uma "brincadeira" de mau gosto para/com o uso massivo de whatsapp de ultimamente na sociedade. Isso, ou alguém com uma imaginação bem óbvia e necessidade de mentir pra parecer o primeiro a dar a notícia alarmante, como é frequente na internet.

Muita gente vai na onda e vira mentiroso junto, assim, sem querer. NÃO REPASSE sem antes ter uma mínima ideia da veracidade de um fato. Isso polui o bate papo e ainda expõe imagens desnecessárias sem... er... necessidade (daaaah!).

Fonte: E-FARSAS

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Mortal Kombat X Street Fighter II: O grande erro de Van Damme



Fã de games, HQs e filmes de ação que sou, conheço a carreira de Jean Claude Van Damme desde moleque (moleque eu, ele já era marmanjão em 1987, quando fez O Grande Dragão Branco). Pois bem, além do tosco título em português (esses caras nunca vão aprender a doçura da coerência em traduções e adaptações linguísticas), tosca também foi uma decisão que, talvez, para a maioria, tenha passado despercebido estes anos todos.

Estou falando da decisão 'van dâmica' (hein?!) de recusar participar de Mortal Kombat para fazer o Coronel Guile no filme de Street Fighter. Ok, os dois filmes são toscos e até que a franquia de Ken e Ryu não foi mal das pernas do ponto de vista comercial/financeiro. Comercial porque, gostando ou não, você acaba lembrando eternamente, seja pelas bizarras adaptações de personagens ou pela memória afetiva de ter criado expectativa, quem sabe, até gostou... mas foi crescendo e viu que era uma droga mesmo, só com muita mídia para fã dos jogos. E do ponto de vista financeiro, o filme gastou 35 milhões de dólares e arrecadou 100, ou seja, não foi uma trozoba tão feia assim.



Agora, a decisão por Guile no lugar de Johnny Cage trouxe sérios distúrbio ao continuum espaço-tempo e eu já explico:

a) Tudo bem que Street Fighter sempre foi mais leve do que MK e todas aquelas mortes bizarras, de repente ele considerou que uma classificação etária maior restringiria público, mas vendo como o primeiro MK saiu, não diferiu tanto em alcance de público, sobretudo jovem (como eu era e assisti aos dois).



b) Se aceitasse ser Johnny Cage no primeiro jogo, seria o protagonista (assim como seria no filme, certamente), já que além dos trajes e das iniciais (JC), o personagem foi criado pra ser ele mesmo, baseado em O Grande Dragão Branco (título horroroso, já que dragões são muito mais associados à China, e seu personagem ali é um estadunidense treinado por um japonês).

c) Inegavelmente, o militar durão Guile só se tornou protagonista por ter sido interpretado por Van Damme (no jogo, é Ryu, um japonês sinistrão, algo pouco representativo pro Homer e razão para a criação de Ken Masters), mas isso trouxe problemas para a produção, afinal, pra suportar o peso das estrelas Van Damme e Raúl Julia, o restante do elenco foi quase todo feito de desconhecidos, inclusive, o próprio diretor abriu mão de parte do seu cachê pra bancar, o que obviamente prejudicou o resultado final.

Mortal Kombat - Filme - Atores Principais

d) Se protagonista de MK fosse, estaria como personagem principal de uma franquia que já tem uns 25 anos de sucesso, diferente do quase ostracismo que o acometeu graças a escolhas ruins (olhaÊ), drogas e casos extraconjugais (com a cantora Kyle Minogue, uma das, então, estrelas desconhecidas em Street Fighter). Aliás, duas 'desconhecidas' desse filme são Kyle Minogue (Cammy) e Ming Na Wen (Chun-Li).

Enfim, Jean Claude poderia pular do fenômeno Frank Dux para Johnny Cage, mas a decisão foi dele, que seja, só lamento que Street Fighter tenha sido aquela coisa tão bagunçada a ponto de sepultar qualquer projeto futuro e... Aliás, houve uma continuação live-action sim, lembrei agora...



Nhé... deixa pra lá. Mesmo que o jogo tenha inúmeras continuações e retcons, ainda prefiro jogar num fliper perdido de fundo de boteco ou nos meus emuladores de video games antigos. Falando em jogo, lembra do baseado no filme Street Fighter, mas que seguia o modelo de MK em captura de movimentos?

Sim, o irônico foi que o filme SF acabou ganhando uma versão nos moldes
de captura de movimento popularizada por MK.



Uma curiosidade é que além de Van Damme, entre dois protagonistas um em cada franquia, outro ator esteve envolvido com os dois universos: Robin Chou. Ele foi o protagonista dos primeiros filmes de Mortal Kombat e o mestre Gen naquela toscura de Street Fighter: A Lenda de Chun-Li, com a Lana Lang da inacabável novela carrossel série Smallhaçãoville.



A febre desses jogos de luta foi primordial pra aprender a fazer meia lua pra frente e botão de soco (e suas inúmeras variantes em qualquer jogo posterior) e também pra me fazer assistir WMAC Masters (na falecida Rede Manchete), com vários figurantes de jogos e filmes de ação da época. A "Apresentadora" era Shannon Lee (filha do Bruce e irmã do Brandon) e era tipo um video game de telecatch com uma cara de teatrinho, mas mais autêntico que muito reality atual. Ironicamente um dos principais atores da série "morreu" como nada na mão do Shang "me dá sua alma aqui" Tsung no filme do MK.



O curioso é que ele luta contra o Liu Kang do filme e atuava ao lado do Liu Kang do jogo MKII (nem vou te dizer quem é quem na foto que é até sacanagem, vá sentar em gelatina se quer moleza).



O mundo da voltas, crianças.



E a Gretchen também



Referências:

http://www.batanga.com.br/1769/veja-11-curiosidades-sobre-o-filme-street-fighter

http://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2014/09/mortal-kombat-confira-maiores-curiosidades-sobre-franquia.html