Crônicas, divagações e contestações sobre injustiças sociais, cultura pop, atualidades e eventuais velharias cult, enfim, tudo sobre a problemática contemporânea.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

MEDGRUPO e sua visão machista sobre as mulheres


Uma estudante de medicina tem acesso ao material de estudo de um curso para formandos que buscam prestar o concurso de residência médica e se especializarem. Ao se deparar com o tal material, ela percebe que o conteúdo da matéria de ginecologia e obstetrícia é extremamente sexista, associando características da saúde da mulher com comportamento libertino e até ilustrações indicando 'nojinho' de médico em relação a um problema de saúde na região íntima feminina.

Medgrupo é o nome da empresa e seu diretor-presidente-dono-senhor celestial se chama Cássio. Não sei se um médico deveria permitir um material assim ser usado na formação de jovens médicos. Na verdade, ainda não sei se ele tinha essa vontade toda de passar seus conhecimentos aos mais novos, ou se descobriu que estudou mil anos pra medicina até perceber que era melhor vendedor do que médico. Lembra do Joey (da série FRIENDS), que sabia que era um tremendo de um ator canastrão e resolveu lecionar atuação? Tipo isso.


Eu trabalhei lá, no atendimento ao aluno, tipo secretaria por telefone e internet. Internamente o Medgrupo não é tão mais legal quanto a 'diretoria' mostrou-se ao praticamente responder à estudante que seu material não visava a "agenda do politicamente correto" e que os incomodados, que não usassem seu material, ainda mais se não fosse pago. Bem, basicamente, 'a diretoria', como assina a resposta-deboche, disse que os incomodados que se mudassem, que "eles" não iam mudar.

Bem, lembro que enquanto estive lá, o parco treinamento que tive (uma meia dúzia de telas printadas) para atender todo o Brasil em contas, negociações, agendas e informações diversas, era massiva a campanha para que nos convencêssemos de que aquela era uma instituição única, séria e de caráter especial. Em poucos dias o equivalente a uma equipe inteira foi demitida sem nenhuma possibilidade de interação após este momento. Bem, quando chegou minha vez, entendi que eles inventavam um pretexto qualquer pra culpabilizar o funcionário durante dias, até sua demissão e assim, a empresa se sentia linda e você, o espírito de porco do mercado de trabalho.



E porque parece que misturei as mazelas preconceituosas retrógradas da empresa com meu histórico profissional junto a ela pra tomar as dores da estudante de medicina? Antes, só explico que não vou citar seu nome por ter o hábito de nomear o opressor e não a vítima, por questão de foco. Olha, estou aproveitando pra desabafar por injustiças que vi acontecerem e fui uma das vítimas, mas a coisa aqui não é denúncia trabalhista, é pra mostrar que assim como tantas outras empresas, o que apareceu agora do lado de fora, apenas reflete a política interna e mentalidade das lideranças daquele (MED)grupo. Aliás, uma empresa de uns 10 anos que não tem uma equipe de confiança formada, só pode ser assim, contrata e demite no tempo da experiência, contrata outros e assim segue. Só os diretores fincam raiz ali. É um grupo muito estranho esse MED.

Aulinhas divertidosas e informativas, muito dinheiro investido, um quase monopólio no mercado e a consequente padronização do pensamento médico... médico e humano, aliás, já que não posso deixar de me lembrar que medicina é um curso longo e caro, não feito para pobre e que a minoria branca do Brasil se faz maioria no ramo, o que agrava ainda mais comentários racistas desferidos sobre médicos cubanos, como as comparações maldosas entre negros de branco e uniformes de empregados, pais-de-santo, etc.


A coisa é muito séria. Tentam reduzir tudo a 'agenda do politicamente correto' porque sabem que é mais lucro passar por piadista babaca do que ser processado como o criminoso que é. Medgrupo, muito alívio quando passei daquela porta na Barra da Tijuca pra nunca mais. Muito mais alívio em saber que minhas impressões estavam corretas. Atraso mental do Brasil nas mãos de quem forma recém-concursados residentes-médicos.

É como tirar carteira de habilitação pelas mãos de algum bêbado brigão e o bêbado falar que seu método de ensino melhora com o alcoolismo.

Quem quiser ver o teor da queixa e da resposta-deboche, clique aqui.

Nenhum comentário: