Crônicas, divagações e contestações sobre injustiças sociais, cultura pop, atualidades e eventuais velharias cult, enfim, tudo sobre a problemática contemporânea.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Bolsonaro: Não é posicionamento político, é falta de caráter e respeito

Jair Bolsonaro esteve recentemente diante de membros de uma entidade hebraica propagando seu racismo, homofobia, misoginia e a imbecilidade que engloba todo esse retardo mental seletivo do ser humano social (para risos da platéia, o que me preocupa muito, em se tratando de integrantes de um grupo que sofrera com o mesmo ódio, no caso, o nazismo/fascismo).

Ele é um imbecil porque quer, e defende-lo apenas faz com que brotem mais imbecis. Tratá-lo como 'figuraça' só porque ele fala o que muitos pensam, mas não têm a mesma cara de pau de falar é banalizar um crime atrás do outro, é endossar a violência que esses grupos ofendidos (negros, gays, mulheres, pessoas em geral) por ele sofrem por aí na rua todo dia.

Aliás, Bolsonaro não é extrema-direita, é extremamente verme. Não é um posicionamento político isso que ele propaga. É falta de caráter e de um mínimo respeito pela vida alheia, pelo ser humano. Pra mim, poucos são indefensáveis como esse monstro fascista. Parabéns, Bolsonaro, entrou para o rol das maiores aberrações que uma vida em sociedade pode criar. E parabéns a seus defensores e apoiadores, pois nunca tinha visto uma devoção tamanha a um pedaço de bosta como estou vendo.

Mas e daí, é liberdade de culto, né? Você adora bosta, adora artista, adora marca de roupa... A cocaína tá aí há tempos com um grupo de seguidores que não cessa, por exemplo. Não quer dizer que seja bom, só que tem adeptos. Mas respeito mais um doente viciado, porque ele tem um problema que pode ser curado. Bolsonaro e seus asseclas não. Esse tipo de xiita não tem conserto.

Não me importa se mesmo depois do golpe você ainda acha engraçaralho ofender Lula ou Dilma (ignorando que quem tá enfiando o pé-de-cabra no seu rabo é o outro grupo, o que DEU o golpe e não quem saiu), o que me importa é fazer a seleção natural que a natureza não fez, deixando bolsonaros e bolsonecas para trás na história (pelo menos no meu perfil de facebook).

Dentre outras, Bolsonaro se referiu a 'fraquejada' ao falar que de seus cinco filhos, a caçula é uma mulher, usou a unidade de medida de peso 'arroba' (usada comumente para gado) ao falar de comunidades quilombolas e disse que de reservas indígenas, quer a desocupação de lá dos nativos brasileiros porque estão sobre agluma riqueza que ele poderia explorar, vindo a ser presidente. É tão alucinado esse lunático que promete liberar porte de armas de fogo a cidadãos, corte de verba para ONGs, enfim, o Brasil naquela pindaíba violenta e falida que era na ditadura, sob a maquiagem da mídia apoiadora de golpes políticos (globo, sbt, record e band, estou apontando pra vocês agora). 

Aquilo tudo que qualquer candidato retardado faz, porque seus fãs, igualmente retardados acreditam e não sabem quais são as atribuições e área de atuação de um presidente, achando que presidente é uma espécie de dono da fazenda, rei do castelo, sei lá. Não me incomodaria se Bolsonaro fosse só um maluco falastrão, o que assusta é que tanta gente - muitas por perto - dão razão a ele. Hitler deve estar rindo horrores no inferno católico. Aliás, quem garante que saindo da sede da Hebraica-RJ, ele não voltou no carro fazendo piadas nazistas com sua plateia de lá, aqueles que riram como se ele fosse um comediante de stand- up da nova geração? 

Quer defender o Bolsonaro? Mesmo com tudo que ele fala e faz contra a sociedade, com seus preconceitos criminosos e com apoio de muito pseudo-líder religioso manipulador da fé e da (falta de) auto-estima alheia? Beleza.

Se você é do tipo que fala "caraca, ele é maior figura", "ele me representa", "ele fala o que eu penso", "Bolsonaro presidente"... Só me avisa nos comentários pra eu fazer uma parada aqui, rapidão. 

Valeu? Valeu.

José Mayer, machismo e os panos quentes da globo



Uma figurinista da Globo denunciou o ator José Mayer por assédio sexual/moral e o assunto tem ganho as manchetes, chamadas, redes sociais e Marte (ou melhor, Vênus). Ok, foi muito legal ela ter aberto o verbo sobre a situação, principalmente contra uma pessoa famosa de uma emissora mais famosa ainda. Ocorreu tudo que a gente espera, como a parte denunciada amenizando suas ações, coleguinhas defendendo e depois desmentindo o apoio quando a proporção fica um pouco maior e mais séria, a emissora dando um gelo no funcionário abusado e, por fim, o afastamento dele pra gente ver que a emissora toma atitudes corretas e éticas, mas só depois que a bomba estoura e não satisfaz mais o basicão da resposta pré-fabricada padrão: “Somos contra o que é feio e errado, somos legais e continue ligado em nós”.

Acontece que um outro funcionário famoso da emissora fez lançar uma nova luz sobre o assunto. Aguinaldo Silva, autor de novelas como Tieta, A Indomada e Senhora do Destino entre muitos outros sucessos, também abriu o verbo. Segundo o blog de Keila Jimenez, o escritor veio a público afirmar que muitos outros casos como o de Zé Mayer ocorrem na surdina e são abafados, não só pelo interesse da emissora em evitar escândalos que manchem (mais ainda) seu nome, mas também por chantagens das partes assediadas. Numa postagem recente, Silva chega a dar dicas de como se respaldar pra não cair nessas armadilhas, de possíveis vítimas ou maliciosos já interessados em fazer seu pé de meia por meios pouco ortodoxos.

Aguinaldo Silva, autor. 

Sinceramente, não sei se o autor falou em tom de denúncia ou se ele se viu no lugar do denunciado, já que muita gente tem lembrado de notícias de alguns anos sobre diretores propondo os famosos testes do sofá (saca, aquele lance de arranjar um pistolão, e não estou falando de currículo favorável), mas pouco importa neste momento. O fato é que existem mais casos por aí, como é de se imaginar numa emissora que prega subliminarmente racismo, homofobia, machismo, etc. Provas? Eu não tenho nada, só o que leio pra fazer minhas reflexões. A questão é que sim, concordo que tenham usado Mayer como bode expiatório, mas nem de longe isso faz dele algum tipo de vítima. Ele é tão vítima por ter sido afastado das produções globais quanto Sergio Cabral é vítima por ter tido a cabeça raspada quando preso por corrupção, estelionato e aquelas coisas de Paris.

Agora, o que é meio curioso é que a Globo foi prontamente afastar Zé Mayer da grade da emissora, mas não promoveu uma real punição, afinal, se fosse um Zé das couves apalpando uma funcionária de serviços gerais no trem, seria até linchado. Além de não punir exemplarmente, o que mostra que o afastamento do ator foi puramente uma medida de proteção à imagem dele e da própria globo, a emissora comprova que está cagando para a figurinista. Veja bem, a globo é tão contra o assédio sexual de seus funcionários que não pune o culpado e ainda mantém em um de seus programas mais assistidos um participante abusivo que demonstra estar a um passo de partir para a agressão física. Lembrando que dedo na cara, ameaças e gritos já são, por si só, formas de agressão.

O BBB17 está mais dando notícias do casal abusivo do que outra coisa e a globo não intervém, ou seja, está gostando do circo de horrores e da venda barata de escândalo ‘doméstico’ pra reter audiência. Nem vou cogitar ser uma tática, porque está explícito que isso é o que está movimentando o programa e a audiência, já que nada mais sai de interessante dali, numa edição que já tentou de tudo pra bombar  alcance de público e retorno de patrocinadores. Perceba que um participante usa de todos os procedimentos opressivos pra cima de uma jovem e ninguém da emissora faz nada.

BBB17: Marcos em franca atitude opressiva abusiva machista pra cima de Emily.

Vai que assim, se concretiza a profecia de que Emily seja a campeã, pra compensar a opressão que está vivendo na casa mais preconceituosa do Brasil, mas ainda seria pouco. Veja bem,  eu não assisto globo, SBT, Record nem ninguém desses, mas leio muito sobre cultura pop, acesso noticiários e muitos esbarram nessas mídias, então, acaba que não dá pra eu ficar muito longe desse universo, nem me interessa, porque nesses momentos a gente precisa ter alguma informação pra analisar.

E a minha é essa: Novelas possuem cerca de 80 atores no elenco, onde de 4 a 8 são negros e apenas uns dois desses conseguem ser escalados para protagonistas e/ou personagens com alguma representação positiva, de resto, é empregada sem passado e sem futuro, alívio cômico, amiga burra de protagonista branca (até quando a história se passa em favela) ou bandido. Também vemos que mulheres, geralmente, vivem pra arranjar um marido, por amor ou por dinheiro, gays não possuem vida normal, sendo apenas amigos escalafobéticos de heróis e vilões e por aí vai.


Então, a globo não me surpreende em apenas descansar a imagem de um ator acusado de assédio sexual. Ela mesma vem protegendo todo tipo de preconceito porque isso faz parte de sua própria postura. Sabe quando você acha que o pai vai castigar o filho levado e ele apenas diz ‘que feio, não tem viagem pra Disney esse ano’? Pois é. Protegem aos seus que protegemos os nossos. Eles são parte e apoio do sistema opressivo que vivemos.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Desdobrando: Capacidade interpretativa de um revoltoddy fascista



Há alguns dias, eu escrevi sobre o comportamento carente afetivo das pessoas que simplesmente repassam notícias de whatsapp e facebook como verdade só pra terem a necessidade de atenção suprida. Pra se sentir um super herói da informação, sendo o primeiro a contar uma novidade, o que, na cabeça dessas pessoas, vai torná-las mais amadas. NINGUÉM LIGA! Se for outro carente, vai repassar como se fosse uma novidade ainda e se não for carente, talvez, tenha bom senso de não repassar porque pode ser mentira, já que boatos de internet são feitos para parecerem atraentes e urgentes. “Repasse já, antes que apaguem, foi um amigo ontem, um deputado hoje, mexe com seu dinheiro, foi perto da sua casa, etc...”. Sempre algo que parece ser caso de vida ou morte e os carentes vão...

Mas além de carentes, neste caso, também junta outra doença mental dos tempos de redes sociais: Os revoltoddys sócio-políticos formados pelo instituto JN/Veja de sociologia e ciência política. O que significa? Que são aqueles revoltadinhos ‘contra isso tudo que tá aí’. Saca, aqueles que rosnaram pra Lula e Dilma por anos e agora que foram defenestrados (temporariamente, se deus quiser), ainda são alvo das piadinhas e ofensas, como se o cara que realizou o sonho reaça de tirar o PT do governo não fosse o real responsável e a principal cara de uma galera, que só existe pra atrapalhar a vida do pobre.

Juntando esses dois, dá um resultado indigesto. Postei aquela foto ‘printada’ em que dois policiais executam dois caras caídos e deixei bem explicado que não se tratava de defender criminalidade nem nada, pois, se fossem dois bandidos, que fossem levados à lei, afinal, eram policiais fardados ali. A PM não pode chegar atirando em gente caída, pois se não é confronto, não é caso de legítima defesa. Não era ‘eles ou a polícia’. Mas o problema que levantei foi o fato de pessoas estarem repassando fotos de gente atribuindo xingamentos e crimes sem qualquer prova, praticamente incriminando essas pessoas por filmarem e divulgarem essa ação da polícia.

Na ocasião, compartilhei no meu Facebook e frisei que não era sobre os executados serem criminosos ou não, mas sobre compartilhamentos falsos que podem estragar a vida de inocentes, só porque algum defensor de execuções sumárias não gostou de ver um malfeito do estado ser publicado. Ali, veio gente no meu face comentar coisas como ‘foram tarde’ ou ‘eles mereceram’. O bizarro é que é gente que tem parentes pequenos que estão totalmente passíveis de levar uma dura mais futuramente desses policiais mesmo, se bobear, só por serem pobres e pretos andando por aí sem coleira. Sem contar que ficou na cara que ou não leram meu texto e comentaram só olhando a foto do link ou leram e – pior – NÃO ENTENDERAM NADA! Só ódio imposto pelo senso comum e um analfabetismo funcional de interpretação de texto.

Aí, sai a notícia de que um dos tiros que atingiu a menina Maria Eduarda, em Acari, saiu de uma arma policial. Isso, momentos depois de eu ter lido no Extra que um dos tiros saiu de uma arma calibre 7.62, de uso policial, mas também de posse de bandidos. Como um colega escolado na vida de comunidade falou, é um atirando e o outro respondendo e quem tá no meio tá arriscado. Ok. Então, essa certeza de que a polícia é o superman e os bandidos são o coringa não procede, principalmente pra mim, depois da 18º dura que levei, antes mesmo dos 21 anos, e também longe de mim dizer que bandidagem é o Zorro ou o Bátema, que chegam na surdina e salvam o cidadão do perigo.


Mas esse recado é para os analistas do nosso sistema que acham que sabem de tudo por qualquer migalha de notícia que alguém espalha sem qualquer comprovação. Repassar boatos é fofoca. É feio. É rude.

Revoltoddy é só um apelido ridículo pra fascista, ok? Gente que defende extrema violência e dureza contra os oprimidos e alivia os opressores... mesmo fazendo parte do grupo oprimido.

Enquanto eu escrevia sobre o link abaixo...

http://extra.globo.com/casos-de-policia/pericia-afirma-que-um-dos-tiros-que-atingiu-maria-eduarda-veio-de-arma-da-pm-21167845.html

... fiquei sabendo que a fofocaria fez mais vítimas. Alguém divulgou fotos e informações que causaram ódio coletivo e um casal foi agredido por causa de um boato desses. Imagina aqui no RJ, com pessoas filmando ações criminosas de agentes do Estado?

http://extra.globo.com/noticias/eboato-everdade/homem-mulher-vitimas-de-boatos-sao-espancados-na-regiao-dos-lagos-21167818.html

sábado, 1 de abril de 2017

Boatos policiais de Whatsapp: O criminoso é quem denuncia?



Já estão compartilhando fotos que seriam das pessoas que filmaram os policiais atirando em homens caídos, supostos criminosos, em Acari, Zona Norte carioca. E a postagem vem com xingamentos e acusações de que os cinegrafistas amadores seriam bandidos, pessoas de mal caráter e aquelas coisas de Paris. Óbvio que não vou expor essas fotos aqui, seria muito feio e poderia prejudicar a vida dessas pessoas (lembra da moça linchada até a morte por uma denúncia falsa de uma vizinha desafeto?).

Surpresa, né? Alguém denuncia uma ação ilegal e criminosa da polícia e já ganha ofensas e acusações criminais. Tipo os caras executados, que já ganharam ficha corrida no tiro que os matou (sendo criminoso ou não). Isso faz com que os executores se tornem os heróis, né? Capitão Nascimento bota na conta do papa? Acho que não, na vida real, existem leis e não melhora em nada justificar um crime com outro.

Mas vou comentar sobre os policiais do tal vídeo. Juntos, segundo o jornal O Dia (viu, fofocaiada, eu tenho alguma fonte de informação que não é só compartilhamento de semi-conhecidos de whatsapp), possuem mais mortes nas costas que muito bandoleiro do velho oeste estadunidense. Aliás, são campeões em uso de munição e as operações por onde atuaram são as que mais geraram mortes. 10% da munição da força policial carioca saíram de suas armas, só em 2015.

Somados, carregam algumas dezenas de inquéritos por ações com resultado de mortes. Sendo autores, são 16 inquéritos. Juntos. No geral, 37. Aliás, um deles já respondeu a processo por uma outra Maria Eduarda, neste caso, de 11 anos na favela Para-Pedro, em 2014. Então, amigues, não sei se os caras mortos eram criminosos, mas mesmo assim, até em uma guerra bélica declarada, há regras sobre prisioneiros, procedimentos, etc... Como agentes de segurança pública age como donos da vida e da morte?

E pra galera do 'tá com pena? leva o vagabundo pra sua casa', só queria lembrar que não defendo crime, mas se até um juiz formado e paramentado na magistratura precisa averiguar documentos, depoimentos, testemunhas e advogados, quem seria eu pra julgar assim, só porque algum carente de atenção revoltoddy resolveu me passar fotos de pessoas aleatórias com alguma legendinha ofensiva? Lembrei logo daquele menor infrator espancado e acorrentado a um poste no bairro do Flamengo... O garoto tinha um histórico de lar desestruturado, expulso de casa e vivendo na rua à base de furtos... Já seus agressores, defendidos por muito 'cidadão de bem' como justiceiros da sociedade, tinham a ficha corrida mais extensa que meu histórico de piadas infames. Enquanto o moleque era um 'pivete', os pitboys que o agrediram respondiam por furto, agressão e até estelionato, se não me engano. Quem vigia os vigilantes?

Agora whatsapp virou fonte da verdade absoluta? Dá pra pegar diploma de sociólogo se eu repassar meia dúzia de boatos de internet? Dá pra eu me formar em astronomia pelas horas que já assisti toda a série de filmes Star Wars? Virei arqueólogo quando comprei o box da trilogia Indiana Jones? Virei físico porque sou fã de De Volta Para o Futuro?

Qualquer coisa agora se torna verdade só porque apareceu na telinha do celular? Faça-me o favor, né? Se brotar um meme dizendo que Papai Noel Existe e é miliciano, vai ter matuto aí repassando pra alertar as autoridades, então? Nem vou comentar mais sobre compartilhamentos de qualquer coisa sem comprovação, a falta de fotos e/ou de antecedentes criminais nem nada disso.

Repassar informação como verdade sem provas é calúnia, mas também é um estupidez, porque a pessoa passa vergonha como mentirosa e maria-vai-com-as-outras fácil (ou tem outro nome pra quem acredita e fofoca tudo que vê sem perguntar?). Além, é claro, de aparecer tipos chatos como eu pra apontar, acenar negativamente com a cabeça e falar: Que vexame, mané!