Crônicas, divagações e contestações sobre injustiças sociais, cultura pop, atualidades e eventuais velharias cult, enfim, tudo sobre a problemática contemporânea.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Desdobrando: Capacidade interpretativa de um revoltoddy fascista



Há alguns dias, eu escrevi sobre o comportamento carente afetivo das pessoas que simplesmente repassam notícias de whatsapp e facebook como verdade só pra terem a necessidade de atenção suprida. Pra se sentir um super herói da informação, sendo o primeiro a contar uma novidade, o que, na cabeça dessas pessoas, vai torná-las mais amadas. NINGUÉM LIGA! Se for outro carente, vai repassar como se fosse uma novidade ainda e se não for carente, talvez, tenha bom senso de não repassar porque pode ser mentira, já que boatos de internet são feitos para parecerem atraentes e urgentes. “Repasse já, antes que apaguem, foi um amigo ontem, um deputado hoje, mexe com seu dinheiro, foi perto da sua casa, etc...”. Sempre algo que parece ser caso de vida ou morte e os carentes vão...

Mas além de carentes, neste caso, também junta outra doença mental dos tempos de redes sociais: Os revoltoddys sócio-políticos formados pelo instituto JN/Veja de sociologia e ciência política. O que significa? Que são aqueles revoltadinhos ‘contra isso tudo que tá aí’. Saca, aqueles que rosnaram pra Lula e Dilma por anos e agora que foram defenestrados (temporariamente, se deus quiser), ainda são alvo das piadinhas e ofensas, como se o cara que realizou o sonho reaça de tirar o PT do governo não fosse o real responsável e a principal cara de uma galera, que só existe pra atrapalhar a vida do pobre.

Juntando esses dois, dá um resultado indigesto. Postei aquela foto ‘printada’ em que dois policiais executam dois caras caídos e deixei bem explicado que não se tratava de defender criminalidade nem nada, pois, se fossem dois bandidos, que fossem levados à lei, afinal, eram policiais fardados ali. A PM não pode chegar atirando em gente caída, pois se não é confronto, não é caso de legítima defesa. Não era ‘eles ou a polícia’. Mas o problema que levantei foi o fato de pessoas estarem repassando fotos de gente atribuindo xingamentos e crimes sem qualquer prova, praticamente incriminando essas pessoas por filmarem e divulgarem essa ação da polícia.

Na ocasião, compartilhei no meu Facebook e frisei que não era sobre os executados serem criminosos ou não, mas sobre compartilhamentos falsos que podem estragar a vida de inocentes, só porque algum defensor de execuções sumárias não gostou de ver um malfeito do estado ser publicado. Ali, veio gente no meu face comentar coisas como ‘foram tarde’ ou ‘eles mereceram’. O bizarro é que é gente que tem parentes pequenos que estão totalmente passíveis de levar uma dura mais futuramente desses policiais mesmo, se bobear, só por serem pobres e pretos andando por aí sem coleira. Sem contar que ficou na cara que ou não leram meu texto e comentaram só olhando a foto do link ou leram e – pior – NÃO ENTENDERAM NADA! Só ódio imposto pelo senso comum e um analfabetismo funcional de interpretação de texto.

Aí, sai a notícia de que um dos tiros que atingiu a menina Maria Eduarda, em Acari, saiu de uma arma policial. Isso, momentos depois de eu ter lido no Extra que um dos tiros saiu de uma arma calibre 7.62, de uso policial, mas também de posse de bandidos. Como um colega escolado na vida de comunidade falou, é um atirando e o outro respondendo e quem tá no meio tá arriscado. Ok. Então, essa certeza de que a polícia é o superman e os bandidos são o coringa não procede, principalmente pra mim, depois da 18º dura que levei, antes mesmo dos 21 anos, e também longe de mim dizer que bandidagem é o Zorro ou o Bátema, que chegam na surdina e salvam o cidadão do perigo.


Mas esse recado é para os analistas do nosso sistema que acham que sabem de tudo por qualquer migalha de notícia que alguém espalha sem qualquer comprovação. Repassar boatos é fofoca. É feio. É rude.

Revoltoddy é só um apelido ridículo pra fascista, ok? Gente que defende extrema violência e dureza contra os oprimidos e alivia os opressores... mesmo fazendo parte do grupo oprimido.

Enquanto eu escrevia sobre o link abaixo...

http://extra.globo.com/casos-de-policia/pericia-afirma-que-um-dos-tiros-que-atingiu-maria-eduarda-veio-de-arma-da-pm-21167845.html

... fiquei sabendo que a fofocaria fez mais vítimas. Alguém divulgou fotos e informações que causaram ódio coletivo e um casal foi agredido por causa de um boato desses. Imagina aqui no RJ, com pessoas filmando ações criminosas de agentes do Estado?

http://extra.globo.com/noticias/eboato-everdade/homem-mulher-vitimas-de-boatos-sao-espancados-na-regiao-dos-lagos-21167818.html

Nenhum comentário: